Menu

Ciro Gomes visita Volta Redonda e diz que pretende discutir com CSN questão do Vita

09 MAI 2018
09 de Maio de 2018

Pré-candidato à presidência se reúne com lideranças políticas da região e faz duras críticas ao governo federal

Volta Redonda – O pré-candidato a presidência da República, Ciro Gomes  (PDT), passou a manhã desta quarta-feira (9) reunido com lideranças da região. Durante o encontro, na sede do Sicomércio, no bairro Aterrado, ele defendeu que a saída para a retomada do crescimento do país estaria na união de uma economia forte, aliada aos investimentos no setor produtivo e amparada por dados técnicos e científicos.

Ciro Gomes, que foi diretor da CSN, garantiu que vai buscar apoio junto à diretoria da empresa para discutir o problema do Hospital Vita. O pré-candidato fez duras críticas ao governo federal, ao qual considerou “ridícula” a forma como conduz as medidas econômicas no país, impedindo o crescimento de diversos setores, em especial, das indústrias e pesquisa.

O pré-candidato considerou “selvagem” a forma como o governo federal vem tratando a dívida do estado do Rio de Janeiro. Ele garantiu que, uma vez, investindo na retomada da industrialização, por exemplo, o estado seria um dos principais beneficiados. “Com a queda do preço do barril do petróleo o Rio perdeu muito e isso é parte da atual política que exporta a matéria prima e importa os produtos mais caros”, ressaltou Ciro Gomes, citando como exemplo, a produção americana da vacina contra a dengue.

– Ou seja, eles pesquisam e vendem a patente pra gente, sendo que o nosso país, é um dos que mais sofre por conta dessa doença – completou, avaliando que as decisões do governo federal estão sendo tomadas sem uma estratégia.

Após a reunião no Sicomércio, Ciro Gomes, Carlos Luppi, Paulo Baltazar e Paulo Fernandes, seguiram para a prefeitura, onde se reuniram com Samuca Silva. Eles falaram sobre a situação do país e, especificamente, sobre a importância de Volta Redonda. Os líderes ressaltaram ainda a necessidade de união entre os poderes para minimizar os efeitos da crise.

Voltar
Tenha você também a sua rádio